Embora ainda não tenha assinado contrato com o Náutico, o meia Esquerdinha já fala como jogador do clube. Em entrevista ao Globoesporte.com, o armador afirmou que está tudo verbalmente acertado, mas – para ser anunciado oficialmente – ainda precisa resolver questões burocráticas com o Ituano, seu clube de origem.

– Está tudo apalavrado. Mas ainda faltam detalhes burocráticos. Eu tenho que ir lá no Ituano ainda (com quem tem contrato) para acertar o empréstimo para o Náutico.

O jogador, que estava no Coritiba na última temporada, também explicou a principal razão para aceitar o desafio de jogar pelo Náutico.

– Eu sou do Recife, né? Então, sempre quis voltar a jogar, pelo menos uma temporada, em um clube da minha cidade, para ficar perto da minha família. Quando surgiu a oportunidade de ir para o Náutico, isso pesou bastante – afirmou.

Aos 26 anos, Esquerdinha já rodou bastante no futebol. Além do Ituano e do Coritiba, passou também pelo Goiás e Chapecoense (clube em que trabalhou com o técnico Gilmar Dal Pozzo). Em Pernambuco, profissionalmente, só atuou pelo Santa Cruz no início da carreira. Mas também tem uma história com o Timbu.

– Eu subi para o profissional no Santa Cruz, mas joguei na base do Náutico. Não lembro exatamente o ano, mas foi no infantil. Já conheço o clube – disse.

Fonte: globoesporte.com