Palco do 7 a 1, o Mineirão voltou a ver a alegria brasileira na madrugada deste sábado, 13, quando a seleção feminina sofreu muito, mas conseguiu derrotar a Austrália. Após o 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação, as meninas ganharam por 7 a 6 nos pênaltis, apesar do erro de Marta na cobrança – a goleira Bárbara, com duas defesaças, compensou.

Assim, as comandadas de Vadão avançaram para as semifinais, fase na qual irão enfrentar a Suécia, na próxima terça-feira, às 13h, no Maracanã.

As suecas se garantiram depois de um surpreendente triunfo sobre o time dos EUA, dono de quatro ouros olímpicos. As nórdicas também passaram nos pênaltis.

Chances perdidas

Durante os 90 minutos do tempo normal, fora os acréscimos, as brasileiras foram sempre superiores e criaram boas oportunidades de gol. A primeira surgiu logo aos 15 minutos da  etapa inicial, quando Debinha parou na goleira Williams. Aos 25, foi a vez da baiana Formiga completar de primeira um escanteio cobrado por Marta e mandar para fora.

A grande chance, no entanto, só apareceu a dois minutos da descida para o intervalo. Acionada por Andressa Alves, Debinha driblou a marcadora, mas bateu por cima.

No tempo complementar, o ritmo da partida continuou o mesmo. A Austrália assustava em chegadas esporádicas, mas o domínio seguia brasileiro. Aos sete minutos, Bia esperava a bola para marcar, mas Kennedy conseguiu cortar providencialmente. Aos 14, Debinha, de novo ela, isolou após passe de Andressa.

A camisa 9 também teve aquela que poderia ter sido a bola do jogo aos 28. Lançada em profundidade pela esquerda, Andressa Alves se precipitou ao chutar e errou feio o alvo. Dez minutos depois, Marta arrancou sozinha desde o campo de defesa, superou três marcadoras e chutou cruzado. Passou perto.

Aos 40, porém, o estádio suou frio quando Logarzo acertou o travessão em uma bomba de fora da área. Só um susto. O embate seria mesmo decidido nos pênaltis.

O tempo suplementar também terminou zerado e, com as equipes já bastante desgastadas, não houve muitas emoções. Aos três minutos da segunda parte da prorrogação, Andressa Alves até poderia ter definido a parada, mas não caprichou em uma cobrança de falta da entrada da área.

As australianas, por sua vez, tiraram tinta da trave em contra-ataque concluído pela atacante Foord.

No drama dos pênaltis, a disputa se estendeu por 16 cobranças e terminou com a salvadora defesa de Bárbara na cobrança de Kennedy. A goleira livrou a pele de Marta, que foi a única brasileira a desperdiçar sua cobrança.

Fonte: Portal A Tarde