Ituano e Santo André começam a decidir o título do Troféu do Interior nesta sexta-feira, dia 21 de abril. O primeiro confronto da grande final acontece às 16 horas, no Estádio Novelli Júnior e tem promoção do Futebol Sustentável, com a troca de duas garrafas pet por um ingresso.

São cinco mil ingressos que poderão ser trocados de forma gratuita no próprio estádio, das 10h às 19h e no dia do jogo até às 16h (ou enquanto durarem os ingressos).

Os dois clubes vão reviver os bons duelos do início deste século, quando subiram da A2 e decidiram duas Copas Paulistas.

Agora a disputa do Torneio do Interior dá a vaga ao campeão na Copa do Brasil do próximo ano. A disputa será um tira-teima entre estes dois rivais. O jogo da próxima sexta-feira será o 50ª da história, desde 1990.

Foco no troféu!

Independente da perda de alguns atletas como Igor e Morato, o time diz estar focado na conquista do título e da vaga para a próxima Copa do Brasil. “A gente tem uma dificuldade grande. Eu costumo dizer que enquanto a gente não sair desse degrau da Série D, nós vamos ter que conviver com estes problemas. Então chega ao término de um Paulista são jogadores saindo, jogadores recebendo ofertas. É difícil. Com alguns a gente tem contrato só até o final da competição e aí é difícil segurar. Já tem um pré-contrato e é isso o que acontece. Então mesmo a gente querendo é difícil conseguir. Entram negociações, como foi com o Morato e com o São Paulo. É uma exigência dos clubes de Série A que o jogador saia no momento da concretização do negócio. Por isso que temos que ter um elenco competitivo. Foi o que aconteceu. Graças a esse elenco competitivo estamos na final do Interior”, explica o gestor Juninho Paulista um problema recorrente em todos os clubes do interior ao término do Estadual.

O outro fator são as lesões e suspensões que impedem Roque Júnior de antecipar a escalação. “Alguns ficarão fora por questão de lesão outros por conta de cartão. Nós já temos o de cartão que já não joga. Mas alguns podem voltar e outros não. Até porque não queremos antecipar a volta de ninguém para que depois tenham problemas. Mas até amanhã a gente sabe quem realmente estará à disposição para jogar”, esclarece o técnico.

Este tipo de situação dá oportunidade de jovens formados na base de serem lançados no profissional. No último sábado, o volante Baralhas pôde fazer sua estreia. Ele chegou no sub-15 em 2013 e disputou as últimas duas Copas São Paulo.

“A gente já sabe que a filosofia do clube é estar revelando jogadores. Nós temos vários jogadores da base junto com a gente e para alguns é a primeira decisão no profissional. Claro que pesa um pouco. Mas nos reunimos para que toda a responsabilidade que acontecer, nós os mais velhos estaremos assumindo. Para eles ficarem mais tranquilos e jogar leve. Principalmente a concentração, ter calma e tranquilidade para jogar e que se Deus quiser a gente vai conseguir”, diz o capitão Naylhor, há dois anos e meio no clube.

Roque Júnior faz um alerta. “A decisão é um jogo de 180 minutos. É claro que tem a questão ‘jogar em casa’, mas também não podemos sair e querer fazer o resultado a qualquer maneira. Porque o time do Santo André também é uma equipe boa. Temos que estar muito consciente do que a gente quer fazer na partida. Ganhando e tendo um resultado positivo isto nos ajuda, mas não nos dá o título. E a mesma coisa se houver um empate ou uma derrota, eles também não ganham o título. Nós temos estes 180 minutos para jogar. Temos que usar bem esta questão da estratégia. Consciente, usando este fator ‘casa’ para conseguir o resultado. Para a gente é importante sair com a vitória, mas consciente daquilo que temos que fazer nos dois jogos”.

Fonte: Itu.com.br
Foto: Miguel Schincariol