Em sua quinta passagem pelo Guarani, o técnico Oswaldo Alvarez conquista mais um feito e completa 200 jogos como comandante alviverde nesta terça-feira, contra o Luverdense, em Lucas do Rio Verde. Vadão está atrás apenas de Armando Renganeschi (201 jogos), Carlos Alberto Silva (297 jogos) e José Duarte (404 jogos). Com a sequência do Brasileirão, o treinador ainda pode ultrapassar Renganeschi e se tornar o terceiro técnico a comandar mais jogos pelo bugre.

Histórias não faltam. Teve gente que já não estava mais entre os vivos e ajudou o clube a escapar do rebaixamento, dérbis históricos e até um vice-campeonato paulista com gostinho de campeão. Afinal, ninguém acreditava no time que surpreendeu e chegou no Morumbi para enfrentar o Santos de Neymar e Ganso. Campanha, aliás, que rendeu o título de melhor técnico do estado de São Paulo a Vadão, em 2012.

Entre o rebaixamento evitado em 97 e o vice-campeonato paulista em 2012, o treinador colecionou outros marcos. Em 98 foi o único técnico a permanecer por mais de um ano no clube na gestão do emblemático ex-presidente, Beto Zini.

“Comigo, o Beto sempre foi um cara sensacional. Nunca tivemos problema e ele sempre respeitou meu trabalho e eu a posição dele. Acho que, por isso, trabalhamos juntos tanto tempo e somos amigos até hoje”, comentou Alvarez.

Já em 2009, Vadão comandou o elenco responsável pelo acesso bugrino à Série A do Campeonato Brasileiro. Situação semelhante a que vive no presente. A missão do treinador se repete e a expectativa é que um novo marco seja registrado na história.

Fonte: Futebol Interior
Foto: Marcos Ribolli