O São Bento fez na manhã desta terça-feira (10), no CT Fazenda dos Ipês, o primeiro treinamento aberto à imprensa desde a última derrota na Série B do Campeonato Brasileiro — o 1 a 0 para o CRB, na última quarta-feira, no Estádio Rei Pelé, em Alagoas. Em boa parte do período acompanhado pelos jornalistas, o técnico Marquinhos Santos priorizou um trabalho para aperfeiçoar a saída de bola da equipe e a transição defesa-ataque.

O lateral-direito Toni, de 28 anos, que teve o contrato rescindido com a Ponte Preta, apareceu pela primeira vez com o grupo. Além dele, o meia Branquinho retornou do empréstimo ao Novo Hamburgo e será avaliado pela comissão técnica.

Durante a observação da atividade, foi possível identificar algumas possíveis mudanças em relação aos últimos jogos. Teoricamente, os que não vestiam coletes faziam parte da equipe titular, composta por Rodrigo Viana, Toni, Luizão, Douglas Assis e Paulinho; Doriva, Fábio Bahia e Maicon Souza; Walterson, Ricardo Bueno e Everaldo.

Nesta formação, Doriva atuava como uma espécie de cabeça de área para dar mais qualidade à saída de bola. Marquinhos Santos, em vários momentos, paralisava, orientava e reorganizava o posicionamento. Ele, muitas vezes, cobrava mais amplitude, pedindo que os zagueiros e laterais abrissem o máximo possível, dando opção de passe.

No time sem colete estavam Henal, Lucas Farias, Anderson Salles e Ewerthon Páscoa e Marcelo Cordeiro; Dudu Vieira, Daniel e Diogo Oliveira; Cléo Silva, Ronaldo e Marcelinho. Mesmo sob a baixa temperatura do início do dia, os atletas demonstraram bastante entrega e, além de ouvirem Marquinhos Santos, conversavam entre si para ajustar cada um dos setores.

Antes do treinamento, o goleiro Rodrigo Viana e o volante Fábio Bahia conversaram com os jornalistas. Viana, que faz uma grande temporada, comentou que a oscilação da equipe, em evidência nas últimas três rodadas, com três derrotas, aconteceu em um “momento de desestabilização geral do clube”, com a troca de comando técnico. “A gente sabe que o que aconteceu é passado, mas o grupo é muito bom. É um dos melhores vestiários desde que cheguei aqui”, disse ele, que foi trazido ao São Bento em 2016.

Sobre a “desestabilização”, Bahia, um dos líderes do elenco, afirmou que “no futebol brasileiro é comum, mas no São Bento não”, tendo como referência o longo período em que Paulo Roberto Santos esteve como comandante. “Os jogadores que estão aqui há mais tempo tinham um modo de trabalhar, já conheciam o Paulo. Mas acho que com esses 10 dias do Marquinhos a gente vai pegando o modo que ele gosta de jogar, a rotina de trabalho dele. Com certeza vamos melhorar para reencontrar o caminho de vitórias.”

Como parte da preparação ao próximo compromisso pela Série B, no sábado (14), às 18h, em casa, diante da Ponte Preta, o Azulão faz nesta quarta-feira (11) um jogo-treino contra o São Paulo, às 19h, no Estádio do Morumbi.

Por Esdras Felipe Pereira para Jornal Cruzeiro do Sul