Após o triunfo, o técnico Vadão analisou a partida e reconheceu algumas falhas. Os erros aconteceram, principalmente, no primeiro tempo, quando a goleira Aline teve trabalho para manter o zero no placar das adversárias.

“Foi um jogo tão difícil quanto foi o da Austrália. Até cometemos dois erros no início do jogo, assim como já havíamos cometido em outra circunstância. Poderíamos ter sofrido o gol, então temos que ter cuidado. Porque as vezes você está jogando e o jogo é difícil, o Japão tem uma belíssima equipe, e, em um lance que você erra, toma o gol e depois tem que correr atrás”, analisou.

“Acho que o segundo tempo, mais uma vez, foi melhor do que o primeiro. Não que eu não tenho gostado do primeiro. A dificuldade do Japão foi totalmente diferente da Austrália. Ele joga em toques curtos e infiltrações centralizadas. A Austrália não. Ela toca a bola e entra pelas beiradas, para depois fazer o cruzamento. São infiltrações diferentes, então tivemos que nos adaptar a isso”, adicionou o comandante.

Com muitos desfalques na convocação, a Seleção Brasileira utiliza o Torneio das Nações com um “laboratório” para a Copa do Mundo. O mundial, na França, será realizado entre os meses de junho e julho de 2019. Desta forma, as mudanças na equipe, servem para testar as atletas.

Frente ao Japão, o Brasil entrou em campo com quatro alterações. Durante o jogo, Vadão ainda fez outras seis mudanças, muitas delas explicadas pelo desgaste físico.

“Com todos os problemas que temos, sendo que oito atletas importantes não puderam participar do Torneio (das Nações), estamos naquele espirito de preparação para a Copa do Mundo. Com isso, começamos a colocar algumas jogadoras que não estão jogando para termos um leque maior de opções até chegar a Copa, porque o tempo ainda é grande”, comentou.

“Todas as atletas (que entraram) me agradaram. As substituições feitas no intervalo foram muito mais pelo desgaste do que qualquer outra coisa. O sol estava muito quente. Nós temos uma preparação física totalmente heterogênea, cada uma está em um canto (do futebol mundial). Uma (jogadora) está em começo de temporada, outra está em final ou voltando de férias”, completou Vadão.

O próximo e último compromisso do Brasil no Torneio das Nações será na quinta-feira. Diante dos Estados Unidos, a equipe vai em busca de uma vitória para tentar conquistar o título.

Por Bruno Nunes Loreto para torcedores.com
Foto: Lucas Figueiredo