A disputa no Grupo 2 da Copa Paulista segue intensa. Mais que isso, está aberta para todas as equipes. Ainda que Ferroviária e XV de Piracicaba tenham aberto vantagem na classificação, duas vagas seguem em jogo. Entre cinco times na briga, o Noroeste é o que está em maior desvantagem. Depois da goleada sofrida para o Red Bull no meio de semana, o Alvirrubro voltou a pegar a lanterna.

Com um jogo a mais que três dos quatro concorrentes, o Norusca vai precisar necessariamente de duas vitórias nas duas últimas partidas da fase. Começando neste sábado, quando a Maquininha Vermelha recebe a Inter de Limeira no Alfredão, às 16h. O duelo é de vida ou morte para as duas equipes que possuem nove pontos no grupo – embora a Inter tenha um jogo a menos.

O que mais desfavorece o Alvirrubro nesta briga pelo G4 é o saldo de gols. Perder de 4 a 0 para o Red Bull deixou o Noroeste com -6 (8 gols marcados, contra 14 sofridos), enquanto Inter de Limeira tem -3, Rio Claro tem -1, Desportivo Brasil tem -2 e Red Bull tem 4. É claro que a recuperação é possível, mas o time comandado por Betão Alcântara vai precisar aliar solidez defensiva e força de ataque como poucas vezes conseguiu nesta Copa Paulista – se é que já fez isso na competição.

Outra dificuldade que o Norusca vai precisar ultrapassar, pelo menos neste sábado, é o desfalque do volante e capitão Alê. O jogador, que se destaca como um dos líderes do time, recebeu o terceiro cartão amarelo após uma confusão pós-jogo contra o Red Bull. Em seu lugar, Betão testou jogadores de funções táticas diferentes, apresentando opções mais ofensivas ou semelhantes ao que o Noroeste costuma atuar.

Entre os atletas testados, estiveram Giovanni (atacante de lado), Daniel Bueno (centroavante), Hugo (meia armador) e Ademir (volante). Dependendo de quem jogar, o Noroeste pode atuar com três volantes; com dois armadores e dois atacantes; ou com dois pontas e um jogador de referência à frente.

Independentemente da forma como entrar, o Alvirrubro vai precisar vencer. O volante Ademir reflete o discurso que sai do vestiário noroestino. “Nós sabemos o que temos que fazer. Precisamos dessa vitória mais do que nunca. Estamos vindo de uma derrota dolorida, mas viramos a página e estamos focados neste jogo em casa contra a Inter de Limeira. E como o técnico Betão falou pra gente, será mais uma final e vamos em busca de somar estes 6 pontos que vamos disputar, chegar a 15 no campeonato e buscar a classificação”.

Como vem a Inter?

Depois de derrotar o Noroeste por 3 a 1 na 5ª rodada, a Inter de Limeira vive uma sequência bem ruim: dois empates e três derrotas, com direito a perder em casa nas duas últimas rodadas. Portanto, a partida em Bauru é muito importante para a recuperação do Leão da Paulista.

Comandando a equipe desde o ano passado, quando a guiou para o acesso da Série A3, o técnico João Vallim conta com um elenco jovem, tendo seu elenco uma média de 23 anos de idade. Entre os nomes mais experientes do grupo limeirense, estão o do meia André Mococa, do atacante bauruense Leleco e do zagueiro Vinícius Gouvea, que chegou ao Noroeste no início do ano, mas logo reforçou a Inter para a Série A2.

O jogo da Inter é voltado pelos lados do campo, utilizando bastante o lateral-direito nas descidas por aquele lado, tabelando com o ponta, enquanto que, pela esquerda, existe maior convergência para o centro já da entrada da área, buscando um chute de longe ou uma bola entre os zagueiros.

Os prováveis

Noroeste: Cairo; Pacheco, Jean Pierre, Júnior Campos e Alex Cazumba; Ademir, Rogério Maranhão e Leandro Oliveira; Giovanni, Renatinho e Gindre.


Inter de Limeira: Moisés; Luís Roberto (Mizael), Lucas Balardin, Vinícius Gouvea e Diogo Calixto; Marquinhos, Teco e André Mococa; Paulinho (Medina),  Leleco e Wesley.

Por Fabio Toledo